» » Fotos Antigas da cidade de Guarapari

Fotos Antigas da cidade de Guarapari

História de Guarapari

Depois de haver evangelizado em outros cantos do Brasil, o padre José de Anchieta veio para capitania do Espírito Santo ao lugar chamado Reritiba, hoje Anchieta.

E foi em 1569, quando ele percorria as terras do Espírito Santo como visitador dos jesuítas, encarregado de estabelecer novas aldeias para catequeses dos índios, encontrou EM Guarapari uma localização bastante favorável para fundar as aldeias e residências, pois encontra-se as margens dos rios ou embocaduras. No alto de uma colina levantou-se um convento para os missionários e uma igreja devotada a Sant’Ana, recebendo este lugarejo o nome de Aldeia do Rio Verde ou Aldeia de Santa Maria de Guaraparim, no ano de 1585.

O Padre José de Anchieta foi evangelizador, músico, poeta e primeiro teatrólogo do Brasil, vindo a falecer em 09 de junho de 1957. O padre Antônio Dias e outros trouxeram muitas levas de índios do interior das tribos termiminós e tupiquinins, tornando a aldeia uma das mais prósperas. Assim surgiu Guarapari.

Em 1677, o Donatário da Capitania do Espírito Santo, Francisco Gil de Araújo, mandou edificar outra igreja ao lado do posto do convento, dedicada a N. Srª da Conceição. Mas a igreja pegou fogo antes de ser terminada. Hoje a ruína encontra-se tombada como patrimônio histórico.

Por mercê de D. Pedro, o donatário Francisco Gil de Araújoi, eleva a aldeia de Guaraparim a categoria de vila. Os jesuítas abandonaram a aldeia, indo para Reritiba (hoje a cidade de Anchieta), devido ao crescimento da vila.

Em 1978, Guarapari passou de vila a município, por alguns anos ainda pertenceu à cidade de Anchieta. O serviço telegráfico foi inaugurado em 1888. A Lei Estadual de 1891, sancionada pelo juiz de Direito e Presidente da Província Coronel Manoel da Silva Mafra, deu a Guarapari foros de Cidade. Finalmente, em 1948, teve sua Câmara instaurada, sendo o primeiro cargo de Presidente da Câmara de Guarapari foi nomeado pela Princesa Isabel como comendador o Sr. Ismael de Paula Loureiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

8 − sete =